O motivo do fracasso das ferrovias no Brasil (6) – Os egressos da RFFSA no futuro das ferrovias

Tempo de leitura: 3 minutos

Por Mozart Rosa

Dando continuidade a uma série de textos de cunho eminentemente técnico, iremos explicar os prováveis motivos da queda do setor como um todo, ao longo de anos. Tentaremos assim esclarecer diversos pontos que até hoje são debatidos mas por vezes equivocadamente divulgados e defendidos, e assim demolir uma série de mitos.
Boa Leitura a todos.

06-A Influencia de egressos da RFFSA no futuro do setor ferroviário

Primeiro entendamos o seguinte: ferrovia normalmente é um negócio. E um negócio tem por premissa gerar lucro. Diferente de rodovias que podem ser pedagiadas ou não, ferrovia praticamente sempre é um negócio. E nesse contexto a RFFSA sempre deu prejuízo.

RFFSA tem Superávit em julho de 1981, mas é melhor ler a matéria completa para entender que não foi bem assim.
Jornal do Brasil – 17 de outubro de 1981

Durante a sua existência a Revista Maiores e Melhores, publicação anual da Revista Exame, sempre listou a RFFSA como:

  • O maior prejuízo;
  • O maior número de funcionários;
  • O maior patrimônio

Portanto como achar que alguns profissionais influentes egressos da antiga RFFSA – que não eram cobrados pelo resultado financeiro da empresa, que trabalhavam em um ambiente onde ao final de cada ano se sabia que com prejuízo ou não a empresa continuaria de pé, pagaria seus salários e manteria seus empregos – tenham hoje a necessária visão empresarial de apresentar propostas palpáveis e possíveis para o setor?

Trecho de matéria do Jornal do Commercio do dia 08 de janeiro de 1981

Quem, que está lendo esse texto, já não ficou preocupado em perder o emprego pelo fato da empresa em que trabalha não estar faturando, obtendo lucros ou rendendo o esperado? Isso nunca aconteceu com egressos da RFFSA.

Tribuna da Imprensa – 10 de outubro de 1985

Portanto apesar do enorme conhecimento técnico desse grupo – que pode ser discutível pois existem casos e casos, pessoas e pessoas – como acreditar que essas pessoas possam apresentar propostas empresariais consistentes para o setor?
Pensem, reflitam e opinem.

 956 visualizações no total,  9 visualizações hoje

Comente via Facebook
Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo não pode ser copiado assim. Caso use o arquivo, por favor cite a fonte.